Tenho alergia à camisinha. E agora?

O látex, material utilizado na composição da maioria das camisinhas, realmente pode causar algum tipo de alergia. O nome “Látex” advém do produto extraído da seiva da árvore seringueira, que é amplamente utilizado para confecção de luvas de borracha, chupetas, balões de festa entre outros tanto materiais. Pelo menos 1% da população mundial padece com algum tipo de alergia ao produto. Percebe-se curiosamente que a pessoa alérgica à proteína do látex pode desenvolver ou já haver desenvolvido reação alérgica a alguns alimentos tais como amendoim, abacate e mamão. É importante observar seu corpo e suas reações a medicamentos, a alimentos, a tecidos, e até ao tipo do preservativo utilizado no momento do ato sexual. O simples contato pode causar-lhe desde coceira, irritação na pele, inchaço, ardor e vermelhidão até sintomas mais extremos, como anafilaxia. Por esse motivo, é importante evitar camisinhas coloridas e/ou aromatizadas. Se já constatou sensibilidade a algum alimento ou material mencionado acima, fique atenta! Faz-se importante buscar acompanhamento médico por, preferencialmente, um alergologista, entretanto, seu dermatologista e até o seu ginecologista poderão averiguar através de exames locais se houve sensibilidade ao produto. Caso aja algum processo alérgico à proteína do látex, a camisinha à base de poliuretano é a mais indicada. Ela é composta do mesmo material utilizado na camisinha feminina, aquela que é inserida no canal vaginal e deixa uma porção em sua parte externa protegendo parcialmente também o seu exterior. Não é muito atraente aos olhos masculinos, entretanto tem sua eficácia comprovada. Sugerimos que adquira um desses preservativos e façam o teste da penetração, durante o sexo solitário. Para os homens, através da masturbação, podendo vestir o pênis e experimentar as sensações. Para as mulheres, vestir o clone (pênis artificial) com o preservativo e utilizá-lo. Atente para estar bastante excitada e, consequentemente, lubrificada naturalmente para não recorrer à utilização de lubrificante artificial, tendo em vias de não mascarar o teste, pois poderá ser alérgica ao lubrificante. Observe que se já for alérgica a algum produto, a tendência a ter sensibilidade aumentada é maior, então não se arrisque.